quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Por causa das pedras é que enxergamos as flores!

Sra. N. estava caminhando pela floresta, feliz e tranquila, tudo ia de bom a melhor, até que ela tropeçou numa pedra e caiu. Num primeiro momento o tombo doeu muito, mas ela então teve a oportunidade de se sentar sobre a pedra em que tropeçou, parar um pouco de correr e observar.. ela percebeu que ao seu redor existiam flores muito bonitas, exóticas, raras, de um aroma doce e de presença marcante naquele momento.

Foi então que ela percebeu que enquanto andava pela floresta, ela não notava que essas flores existiam, somente no momento em que a dor veio e que ela parou pra pensar é que ela se deu conta da beleza existente ao redor dela, beleza esta que sempre a acompanhara mas que a Sra. N. era incapaz de usufruir. Isto deixou-a, de certo modo, feliz... ela não estava sozinha em meio a floresta!

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Pra que calmante se posso escrever?

Madrugada de segunda pra terça: o inferno na terra pra mim - nervosismo, insônia e enxaqueca, o trio avassalador. Tomei 2 comprimidos de calmante e 1 comprimido pra dor de cabeça... com muito esforço consegui dormir por um período de 4horas... e ainda há quem diga que esses remédios funcionam!

Na realidade é a primeira vez num longo período que me senti assim... Aí me perguntam: o que te deixou assim, Sra. N.? Simples, viva num momento em que a pessoa por quem se está apaixonada te largue falando sozinha quando você mais precisa e ignora o seu telefonema...

Foi isso que o Sr. M. fez ontem a noite... mas o pior foi hoje ele vir me cumprimentar como se nada tivesse acontecido, me perguntando "tudo bem?", como se eu tivesse motivos ou mesmo cara de quem estava se sentindo bem ou feliz da vida...

Mas o que isso tudo tem a ver com o título deste post? Simples.. hoje quando cheguei em casa eu só sentia vontade de chorar, até meus bichanos se compadeceram de minha situação.. meu coração apertava, meu estômago doía, minha garganta estava travada.. Mas por que minha gartanta estaria travada? Os dois primeiros era de se entender que estivessem doendo, mas o que causava aquele "aperto" na minha garganta?

Após refletir um pouco, percebi que eram as palavras que estavam presas ali e que eu não havia liberado... as emoções pesadas que deveriam ser liberadas por palavras, encontravam-se presas, me sufocando de modo cruel.. foi aí que resolvi gritar para o mundo tudo aquilo que estava preso, e percebi que enquanto escrevo aquilo que sinto, que me vem uma sensação de alívio, leveza, calma... o aperto da garganta, do coração e do estômago passaram, coisa que o calmante de ontem não foi capaz de fazer.. por essas e outras que questiono: Pra que calmante se eu posso escrever e obter o mesmo efeito?

Introdução: as palavras que não foram ditas...

Criei este blog basicamente para desabafar um pouco. Por falta de oportunidades, interesse, amigos que estejam dispostos a me escutar, descobri que ao escrever eu tenho a oportunidade de colocar pra fora tudo aquilo que eu sinto, sem a necessidade de provar alguma coisa que seja, sem precisar me explicar, sem precisar medir minhas palavras e principalmente, sem precisar engolir aquilo que gostaria de dizer e que não gostaria de escutar..

O que faz uma pessoa se sentir no direito de te humilhar, pisar e te machucar por um erro que você cometeu sem que houvesse qualquer intenção? Será que o fato dessa pessoa querer acabar com você vai resolver os problemas dela, vai fazer a vida dela ser mais feliz? Por que este prazer em querer destruir uma pessoa que nitidamente é o elo mais frágil de uma relação? Sensação de poder? De qualquer modo, não encontro justificativas para tais atitudes...

Por que as pessoas não assumem que tem uma parcela de culpa em todo erro, ao invés de jogarem a culpa inteira contra uma pessoa que sequer tinha motivos para querer prejudicar alguém? Admito ter minha culpa parcial em tais situações, mas jogar a culpa toda sobre mim, tendo em vista que existiam pessoas acima de mim com uma responsabilidade ainda maior que a minha e que nada fizeram em tempo hábil para evitar o erro, não seria exagero? Pareço me fazer de vítima? Talvez esteja me fazendo de vítima, talvez eu seja de fato vítima, eu seria parcial demais em afirmar qualquer coisa nesse sentido.

A princípio, o que eu gostaria de desabafar aqui é: NÃO JOGUE A MALDITA CULPA EM CIMA DE APENAS UMA PESSOA QUANDO OUTRAS ESTÃO ENVOLVIDAS!