domingo, 22 de fevereiro de 2009

Demasiado humano

Demasiado humano é meu coração, cheio de inseguranças, dúvidas e incertezas, a propósito, quem não é assim? Se um dia conhecerem uma pessoa diferente, coloquem-na sob custódia psiquiátrica, pois tratar-se de um psicopata!

Demasiado humano é o ciume que me vem algumas vezes, medo de te perder... Quem nunca sentiu ciume na vida? Sabe, haviam anos que não sentia isso por ninguém.. eu sei que não é um sentimento bom, agradável ou sequer construtivo, mas é difícil de evitar quando você está namorando uma pessoa que considera ser perfeita, muito preciosa, valiosa demais para perder por qualquer motivo que seja... e de fato, não quero perdê-lo por nada nesse mundo! Mas aí vem a questão, ciume de que? Na realidade não tenho motivos, é pura insegurança de uma pessoa que já sofreu o cão e conheceu o inferno na terra quando o assunto é paixão. Já fui traída, enganada e muito ferida por pessoas que eu gostei, tenho medo de reviver isso, não posso negar.

Demasiado humano é o forte pulsar no meu peito quando lembro dos momentos com esta pessoa tão especial, que superou todas minhas expectativas, anseios e modelos de perfeição que eu tinha até então.. é, agora tudo complicou, depois de conhecer alguém assim meus padrões de seletividade se elevaram ainda mais.. mas vale a pena.

O beijo que não foi dado carrega consigo o sabor da expectativa e do sonho, mas o beijo consumado que deu certo carrega consigo a energia da realização de um momento perfeito, sem dúvida isso é muito forte.

Demasiado humano é meu desejo de poder estar ao lado desta pessoa, de beijar-lhe, de olhar em seus olhos sem precisar dizer uma única palavra, apenas sentindo seu cheiro, sentindo o calor de seu corpo, o toque de sua pele, apreciando seu olhar, descobrindo os mistérios de sua alma tão doce...

Demasiado humana é a saudade que sinto quando não estás próximo de mim, e mesmo com meus pensamentos ao teu lado, a saudade é forte e me consome de qualquer modo.

Demasiado humano é o carinho que recebo de você, meine liebe! Nunca me senti tão querida assim antes, obrigada por fazer eu me sentir assim!!!

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Como irritar uma pessoa

A arte de irritar uma pessoa: há tantos indivíduos que parecem se esforçar no sentido de tentar te irritar que parece algo impressionante, como uma pessoa pode ser tão ociosa a este ponto. Ok, algumas pessoas não tem essa intenção, mas de qualquer forma falta-lhes uma coisa chamada DESCONFIOMETRO.

Dizem que são os grandes defeitos que atrapalham um relacionamento, na verdade não, pois quando você descobre um grande defeito logo de cara, o mais natural é evitar determinada pessoa, na realidade o problema está nos pequenos defeitos, aquelas coisinhas mínimas que ninguém dá importância mas que com o convívio, o dia a dia, acabam com qualquer paixão.


Sobre o SEMANCOL.

Eu acho impressionante que as pessoas não percebam isso. Para ser mais exata, melhor do que explicar é dar exemplos práticos e concretos:

Situação A: A fumaça que me persegue. Você não fuma, não gosta de fumaça, tampouco do cheiro que ela deixa na sua roupa, no seu cabelo e na sua casa. Você arranja um amigo ou pior, um namorado que fuma. O indivíduo vai pra sua casa e com o tempo, se sente "em casa".
Você acaba de tomar banho, lavar o cabelo com aquele shampoo super cheiroso, acaba de passar um perfume, colocar uma roupa bonita e, de-repente, você vê aquela fumaça vindo na sua direção e... adeus cheiro bom! Aquela fumaça impregna no seu cabelo e fica um cheiro horroroso, que as vezes parece que só você é capaz de perceber isso, depois ainda fica com estigma de pessoa implicante, mas eu pergunto: Você, fumante, acha legal fazer isso? Gostaria de estar no meu lugar e ter que aturar isso e ainda achar bonito?
Não tenho nada de pessoal contra fumantes, desde que fumem BEM LONGE DE MIM! Já disse que em boa parte da minha vida eu sofri de bronquite? É, eu não sou inconveniente, apenas quero que respeitem meu banho, meu cabelo, minha casa e minha saúde, estou pedindo demais??

Situação B: A "água santa" de todo dia, NÃO nos dai hoje por favor!!!! Essa é especial para os homens.. custa tomar cuidado com o meu banheiro e com a limpeza do mesmo? É tão difícil assim acertar na mira? Por ventura é algum de vocês que o limpa, que usa e toma banho no meu banheiro todos os dias?
Ah sim, algum de vocês (essa vale pra todo mundo) gosta de usar sabonete derretido durante o banho? NÃO!?!? Pois eu também não! Então você, seja lá o que for, amigo, parente, familiar, visita que vier em casa e for tomar banho, custa tomar um pouco de cuidado para não derreter o sabonete que eu uso? Ah sim, custa secar o chão do banheiro? Não vai tirar pedaço e não vai lhe tomar nem 2 minutos do seu tempo, e vai polpar de me deixar irritada. Apesar de ser de um signo de água, não gosto de viver num ambiente úmido ou molhado, por favor, entendam isso.

Situação C: Bagunça é bom (?), mas eu não gosto. Não vou criticar quem é bagunceiro, pois também não sou nenhum exemplo de organização, mas o fato é que fazer bagunça na casa dos outros não é nada legal. Já basta a bagunça que eu mesma faço, que eu mesma me irrito e tento arrumar, agora arrumar bagunça dos outros eu acho dose!!


Sobre o ESPAÇO VITAL.

Espaço vital compreende-se por ser o espaço mínimo necessário que uma pessoa precisa para viver, se locomover e fazer suas coisas. Esse espaço varia de acordo com o nível cultural e intelectual, com a personalidade e com a educação de cada pessoa, basta observar que pessoas mais cultas e inteligentes necessitam de um espaço vital maior e, da mesma forma, sabem respeitar melhor o espaço vital alheio.
Infelizmente algumas pessoas são incapazes de compreender esta necessidade, invadindo o espaço vital da sua "vítima" das mais variadas formas, algumas eu vou aqui enumerar:
1- Pedir relatório (onde você foi? com quem você foi? o que você fez? por que não me avisou?);
2- Atrapalhar seu banho sem ter necessidade;
3- Interromper sua leitura ou estudo para insistir que você coma alguma coisa, que saia para "viver um pouco", para dizer que está preocupada pelo fato de você estar trancada no quarto o dia todo e fazer isso pelo menos umas 3 vezes ou mais ao longo de uma tarde;
4- Tentar te empurrar comida a qualquer custo (será que essa pessoa não entende o significado da palavra NÃO??);
5- Ficar fuçando seu celular, chamadas feitas e recebidas, torpedos, números de telefone da sua agenda, contatos do seu MSN, Orkut, etc..
6- Ficar te cercando numa festa em que você leve essa pessoa junto, sem dar espaço para você conversar com outras pessoas, dar risada, rever os amigos, e por aí vai...
Por favor, se você gosta de uma pessoa, existem muitas formas de demonstrar isso, não há necessidade de agir como mala sem alça e fazer com que a pessoa queira se afastar de você a qualquer custo para ter um pouco de sossego!

Mas se você tem a intenção de irritar uma pessoa, é só fazer isso tudo que enumerei que o sucesso será garantido!!

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Lua em Aquário

A posição Natal da Lua no Signo de Aquário é própria de pessoas que detestam cobranças emocionais de qualquer tipo. Não gostam de se ligar à pessoas mais melosas, carentes ou emocionalmente exigentes. O seu padrão emocional é de liberdade, espaço, autonomia. Dramas e ciúmes são muito mal vistos.

Extremamente sociáveis, gostam de se sentir ligados a grupos e amigos e se nutrem mais dessas relações do que de situações mais íntimas. Quando estão muito tocados ou subjugados por uma emoção, tentam esfriá-la ou cortá-la para recuperar a liberdade que gostam de manter em relação às pessoas e às coisas. Não sentem igual a todo mundo e não têm as reações previsíveis. Nunca se sabe como eles podem se sentir em relação a alguma coisa.

Espontâneos, francos em relação às suas emoções podem nos surpreender com demonstrações completamente diretas e sem rodeios de seus sentimentos. Podem parecer frios e distantes quando vamos a eles buscando carinho e intimidade. Quanto mais se tenta aproximar deles mais fogem. Quanto mais os deixamos à vontade e soltos mais se aproximam.

Têm uma habilidade única de deixar os outros fora da vida deles. Podem se enjoar com facilidade de uma pessoa ou de uma situação e, de uma hora para outra se desligar delas; buscando novos interesses e novos lugares. Não pergunte a eles sobre seus sentimentos a menos que queiram conhecer a verdade. Quando entram na fase da novidade, não insista: qualquer outra coisa vai parecer mais estimulante do que o que eles têm na mão.

Não caem em chantagem emocional, não atendem à cobranças e não se mobilizam com o descontrole emocional dos outros. Ninguém de quem depender - ninguém dependendo deles: este é o seu lema. Espaços livres, universos separados, laços e vínculos que incluem respeito à liberdade de cada um --é assim que se sentem bem.

Essa Lua não pede mimo, nem paparico, nem zelo. Pede que a deixem livre inclusive que não prestem atenção demais nela. Pede que suas necessidades possam variar. As afinidades intelectuais são pré requisitos para as ligações emocionais. Essa pessoa se sente sufocada e acuada muito facilmente, então o pior é cobrar e pressionar. Se alguma coisa não vai bem não vão tentar consertar ou resolver.

Para elas é emocionalmente mais simples cortar e cair fora. O melhor consolo é dizer-lhes que não estão obrigados a nada se não quiserem; que eles têm sempre uma outra opção; que podem deixar tudo para trás e inverter totalmente, a ordem das coisas

PS: Essa sou eu.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

Pessoas tímidas x pessoas anti-sociais

Frequentemente me deparo com pessoas muito reservadas. A maioria das pessoas ficam quietas no canto delas e só se mexem quando há um forte interesse envolvido, seja profisisonal, financeiro ou sexual. De fato, a maioria das pessoas tem dificuldade em criarem vínculos umas com as outras, por diversos motivos, como medo de serem traídas, falta de interesse, desconfiança, antipatia gratuita, etc... Apesar de serem estes motivos para não se criar vínculos, percebo ainda que existe uma primeira trava que vem antes disso, uma trava que impede as pessoas de se aproximarem de outras para puxar assunto, perguntar alguma coisa, enfim, a trava da primeira aproximação. Esta trava pode ser causada por dois motivos principais: timidez ou complexo anti-social, motivos estes que pretendo discorrer um pouco sobre.


Da timidez.

Muitas pessoas são tímidas, isso é fato. Existem aquelas que até se esforçam para se socializarem, mas logo é possível perceber sua timidez quando conversamos com elas. Estas pessoas normalmente conversam sem olhar diretamente nos seus olhos, normalmente olham para baixo, como se houvesse um complexo de inferioridade. A linguagem corporal, além do olhar, também condena: cruzam os braços, mantém as mãos fechadas, algumas ficam vermelhas e chegam até a tremer. Como sei de tudo isso? Porque eu já fui tímida quando era mais nova. Como resolvi isso? Terapia do espelho, depois explico melhor.

O que causa a timidez? Falta de confiança em si próprio, falta de capacidade de resolver problemas (é uma causa e também uma consequência da timidez), sentimento de vulnerabilidade e complexo de inferioridade. Mais uma vez, digo isso por conhecimento das causas da minha própria timidez no passado, e foi através deste conhecimento que pude fazer um trabalho para resolver estes problemas e me tornar uma pessoa extrovertida.

Bom, o fato é que pessoas tímidas, como eu já fui, sentem uma dificuldade terrível de chegar em um lugar cheio de pessoas que não conhece, se entrosar em um grupo, puxar assunto e mostrar que é uma pessoa legal. Não é medo das pessoas em si, mas uma espécie de auto-punição, como se esta pessoa não se sentisse digna de receber a amizade e a atenção de outras pessoas.. isso é grave! No entanto, quando uma outra pessoa qualquer puxa assunto com um tímido, descobre que apesar de sua timidez, ele pode mostrar-se um amigo de verdade, com paciência para escutar e dar conselhos, enfim, ótimos amigos.. e essas pessoas com todo esse potencial de amizade se vêem sozinhas por conta desta barreira da timidez, por isso é bom refletir muito antes de desprezar uma pessoa apenas por sua timidez, ser uma pessoa extrovertida não é sinônimo de ser uma pessoa divertida e tampouco confiável.


Do complexo anti-social.

Pessoas com complexo anti-social não são tímidas, mas não gostam de outras pessoas logo de cara. Costumam enxergar primeiramente os defeitos para somente depois de muito tempo enxergarem alguma qualidade. Este é o oposto do tímido, pois o anti-social normalmente julga-se alguém acima do bem e do mal, uma pessoa boa demais para se misturar com qualquer um, por conta disso ele tem dificuldade em quebrar a primeira barreira do primeiro contato, uma vez que para que isso ocorra, a pessoa deve de alguma forma demonstrar estar à altura de conversar com ele.. ele só vai parar para conversar com uma outra pessoa que considere ser extremamente bonita, extremamente inteligente, extremamente rica ou com alguma qualidade muito visível a todos, pois para ele o que importa é que esta pessoa seja "especial" e, principalmente, que todos ao seu redor também reconheçam isso.

É o tipo de pessoa que alimenta um grande orgulho de ser quem ela é e por conta disso acha que o restante dos meros mortais não chegam aos seus pés.

O que causa este complexo? Orgulho exagerado, ego exaltado, excesso de auto-confiança, sentimento de invulnerabilidade e complexo de superioridade. Este tipo é bem difícil de lidar, uma vez que é mais fácil fazer um tímido fortalecer seu ego que um convencido se tocar se sua vulnerabilidade. Se alguma pessoa vier a querer conversar com um tipo desses, certamente dirá quem é um arrogante.. nem sempre isso é verdade, mas é a impressão que o anti-social passa, mesmo sem querer. Ele dificilmente terá amizades, a não ser de pessoas que ele considere especiais e que sejam do perfil de pessoas tímidas com o ego bem fraco para não se ofenderem com os anti-sociais.


Conclusão.

Diante dessas perspectivas, o ideal seria um verdadeiro equilíbrio entre estes dois perfis principais de personalidades sociais, algumas pessoas conseguem, mas a maioria se prende em um desses extremos. De qualquer modo, penso que as pessoas deveriam ser mais abertas ao mundo, a novas amizades e conhecimentos, pois toda e qualquer interação social é um aprendizado, nós só temos a ganhar com isso, ao contrário do que muitos pensam.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Desinteresse pela vida

Você já passou por uma época da sua vida em que sua única vontade é dormir o máximo que você puder? Já reparou que até as atividades prazeirosas tornam-se sem graça nesses tempos? E quanto à idéia de sumir do mapa? Já se questionou o que está fazendo nesse mundo miserável? Caso responda SIM para algumas dessas perguntas, devo dar-lhe as boas vindas ao Clube dos Desinteressados na Vida.

Quando tudo o que você enxerga ganha tonalidades acinzentadas, quando o ar já não lhe parece leve e perfumado, quando beber água deixa de ser um prazer e torna-se uma obrigação e quando você só lembra de comer porque seu estômago começa a doer de fome, você claramente está em um estado emocional de puro desinteresse pela vida, especialmente pela sua própria vida.

Mas qual a origem deste desinteresse? Eu também gostaria de saber, não sou psicóloga, psiquiatra ou algo do gênero, sequer já li livros a respeito do assunto, mas sinto na pele essa falta de interesse, que muitos podem atribuir a um princípio de depressão, bem, qualquer que seja o nome a sensação não é boa.

Eu tenho me forçado a ir pra aula, num curso que sempre gostei e não deixei de gostar, mas eu não precisava me forçar antes, agora preciso, em pleno começo de semestre e com desânimo típico de final de ano. O que mais tenho feito ultimamente é dormir, dormir muito, me fazer dormir o máximo possível, afinal, enquanto durmo pelo menos esqueço que estou viva. Se já pensei em sair pra balada? Sim, já pensei, mas não seria uma boa idéia.. no meu atual estado emocional eu certamente beberia muito, faria besteiras e o vazio só aumentaria... pois aí eu seria uma depressiva sentindo ressaca e arrependida das besteiras da noite anterior, de fato só pioraria minha situação para comigo mesma, melhor ficar depressiva sozinha em casa mesmo...

Eu gostaria de voltar a me sentir viva, de voltar a me sentir bem disposta, a acordar feliz e ir espontaneamente fazer alguma atividade que seja sem precisar me forçar. Gostaria de me sentir feliz por estar vivendo aqui e agora nessa vida, desse jeito, dessa forma.. mas eu não estou! Não tenho exatamente do que reclamar: minha saúde está ótima, obrigada; estou financeiramente equilibrada, sempre dá pra comprar o que eu quero, tenho meus bichanos que me fazem companhia e que demonstram gostar de mim, faço um curso bom, numa faculdade excelente, moro num lugar legal, não tenho problemas materiais para me sentir mal, entretanto eu me sinto mal, ou melhor dizendo, não sinto interesse por nada. Tudo está vazio, não há uma razão para eu continuar... quem precisa da Sra. N? Que eu saiba, ninguém... O que a Sra. N. fez de relevante até hoje? Nada, creio eu... By the way, what's the sense of life? For me there's no sense for this time. Como dizia Schopenhauer, "Felicidade é a de não nascer" - sábias palavras, pro meu ponto de vista.

Nas vezes em que senti alguma vontade de viver, é porque eu me sentia apaixonada, por algo ou alguém.. ou seja, era a libido que me fazia sentir interesse por alguma coisa, puro instinto reprodutor da espécie mas, o sentido da vida seria então multiplicar-se? Por favor, se for isso me avisem logo que eu dou o fora desse mundo! Se isso for objetivo da vida, quem foi o desocupado sarcástico que determinou isso? Queria ver só se fosse na pele dele.

Então vejamos, pelo fato de não estar sentindo paixão nem nenhum sentimento por ninguém que tenha natureza sexual envolvida eu simplesmente perdi o interesse pelas coisas e caí nesse vazio... irônico isso, muito irônico... as vezes eu entendo porque muitas pessoas vivem de ir pra balada sempre que podem, que vivem enxendo a cara nos bares da vida, na tentativa de fugir desse vazio que consome cada um por dentro, para fugir dessa falta de interesse pela vida e tentar torná-la menos desagradável.

Bem, como não gosto de sentir ressaca e não quero mais problemas pra minha vida, o jeito é enfrentar esse vazio estando sóbria mesmo, é bem mais doloroso, mas eu não vejo outra forma :(